segunda-feira, 18 de outubro de 2010

<<< Get Stoned! >>>


NEBULOSOS GROOVES


"They’ll stone ya when you’re at the breakfast table
They’ll stone ya when you are young and able
They’ll stone ya when you’re tryin’ to make a buck
They’ll stone ya and then they’ll say, “good luck”
Tell ya what, I would not feel so all alone
Everybody must get stoned."

  BOB DYLAN
, "Rainy Day Women #12 e #35         


Sigam o conselho do sábio poeta: "everybody must get stoned!". Calma que não é masoquismo: ninguém está sugerindo que ser apedrejado seja mó balada. Eu suspeito que Dylan se refira mais ao consumo de substâncias de expansão da consciência, daquelas conducentes a intensos júbilos psicodélicos; não está convidando a molecada a brincar com pedra. "Get high!" E é neste "estado" de embriaguez, que lá fora conhece-se como stoned, que o ouvinte esperto adentrará os portais desta belíssima obra-de-arte chamada Blonde on Blonde...

Lembrei desta dylanesca conclamação ("get stoned!") pois hoje só tô aqui para fazer um convite bem parecido. Embarquem todos (bangers, garageiros, grunjões, motoqueiros e outros malucos...) na nebulosa sônica do Stoner! Ponto do universo onde a matéria é densa (e os graves, cabulosos). Campos gravitacionais impressionantes. Cores intensas. Sóis nascendo e morrendo num piscar de olhos. Não há buraco negro que aguente sugar tanto barulho: eles arregam. E como o bagulho brilha e pesa!

Muito tempo atrás, fiz aqui no Depredas um especial Stoner, com um texto massa do Marcos Bragatto arranjado numa velha Rock Press da minha mítica gaveta. Lá conta-se um pouco da história do gênero e analisam-se alguns álbuns clássicos dos seminais Kyuss, Soundgarden, Nebula e Spiritual Beggars. O fato é que faço questão de fazer um atrasadérrimo post II sobre o "tema", já que nesses últimos tempos tenho voltado a me expor a "apedrejamentos" de prima, alguns dos quais são digníssimos de compartilhamento. ("Ter navio pirata e não silgrar os mares trocando riquezas não tem sentido."; in: Manual do Bom Pirata Cibernético, editora Depredas, página 5, artigo segundo). 

Aí vão, pois, um punhado de bons discos stoner, que largo aí na base da "pirataria gratuita". E querendo boas sugestões de outras bolachas que vocês tiverem aí pra compartilhar conosco!

Mas...

"Whaddahell?", pergunta-se o desavisado perante este post, sem saber que perebas é "stoner rock". Tentarei dar uma rápida luz, mas ainda hoje sofro para definir a "stoneidade" para os leigos que ainda não tiveram a felicidade de estragar seus tímpanos nestas lamas. Me arrisco: é como o Cream anfetaminado ou um Led Zeppelin ainda mais denso e pesado; ou o filho bastardo que o metal teve com o grunge; ou talvez o resultado duma metaleirada que desceu pra garagem depois de ouvir os álbuns do Stooges; ou talvez duns punks querendo mostrar pros cabeludos como é que se faz heavy metal de verdade depois de terem enchido o saco dos discos do Dio...

Desisto.

Pegue a vontade, stoneie-se como for possível, e faz o favor de alçar o volume até, no mínimo, o nível suficiente para acarretar a enxaqueca do vizinho.

Cheers!


UNIDA - Coping With The Urban Coyote (1999)
<<< d >>>



MONSTER MAGNET - Spine of God (1999)
<<< d >>>




ETERNAL ELYSIUM - Spiritualized D (2000)
<<< d >>>


ATOMIC BITCHWAX - I (1999)
<<< d >>>


CLUTCH - Blast Tyrant (2004)
<<< d >>>



NEBULA - Apollo (2006)
<<< d >>>



ATOMIC BISHWAX - II
<<< d >>>



NEBULA - Atomic Ritual (2003)
<<< d >>>



COLOUR HAZE - Los Sounds de Krauts
<<< d >>>