quinta-feira, 26 de março de 2009

:: radiohead no brasil! ::


por DIOGO SOARES


Saí do show do Radiohead com isso na cabeça: "Você não conhece de verdade uma banda se você somente ouviu o que tem num CD".

Não sei se outros colunistas aqui irão tecer comentários sobre o show do Radiohead, acontecido no último dia 22 de março de 2009 em Sampa. Eu não esgotarei o evento com este post, nem acho que conseguiria, mas tentarei remexer nesta coisa delicada que é a distensão entre bandas e álbuns novamente.

Ao ouvir uma dezena de músicas que passearam em meus playlists durante mais de uma década (éééé, The Bends completa 14 anos) tive a nítida sensação de que era outra banda que estava escutando. Era como se as letras viessem em minha mente, mas ao cantar houvesse um estranhamento. Não eram mais aquele grupo que ouvia deitado em minha cama, que sempre foram um assunto pessoal pra mim. Sessões de discussão ou mesmo de audição nunca foram atrativas quando se falava de Radiohead. Me incomodava por que ninguém parecia entender o que eles queriam dizer. Depois do show eu é que fiquei sem entender.

Não sei se vocês sabem, mas o In Rainbows não contava com músicas inéditas. Apesar de não contarem com uma gravação excelente era só percorrer os fóruns de discussão na internet que rapidamente vocês encontravam diversas versões destas músicas ainda com nomes provisórios.

O único paralelo que faço é com bandas em seu primeiro trabalho oficial. O grupo chega pra gravar uma série de músicas já experimentadas, seguras de si mesmas e selecionadas pelos shows da vida. E é por isso que se chama o 2º álbum de encrenca. O grupo volta de uma grande turnê, e se mete a compor músicas de uma maneira totalmente nova. E é por isso que se chama o 3º álbum de maduro. Pois já está adaptado ao novo formato de composição. E é assim que vamos distanciando o álbum do trabalho real da banda.

É certo que à partir da década de 90 o número de álbuns "ao vivo" aumentou muito nas prateleiras. Era uma forma de tentar diminuir o abismo que se formava a olhos vistos. O "ao vivo" serve para fazer releituras de músicas que em estúdio não "funcionam" e também dar uma aquecida na pegada das músicas com o som ambiente dos fãs, mais instrumentos etc.

A brincadeira que o Radiohead propôs para o In Rainbows foi bem pensada: afinal foi lançado em 2007 ou em 2008 o álbum? Nas lojas, fisicamente, chegou somente em 2008, no site saiu em 2007. Um álbum feito de músicas "ao vivo" terminadas em estúdio. Terminadas? Será que tô escrevendo isso mesmo? No show a sensação é de que In Rainbows funciona mais do que um álbum, mais do que esta coisa finalizada.

Mas não é somente isso. O In Rainbows consegue a façanha de iluminar os outros álbuns. Consegue dar garra e calor para o Ok Computer, dar batidas pop ao Kid A, e tornar o The Bends menos fácil. Meu chute é que ao realizarem suas músicas ao vivo o amálgama de In Rainbows com os outros álbuns pareceu a única maneira de realizar o projeto. Não foi um retorno ou uma releitura. Foi um passo pra frente.

As câmeras de vigilância que "perseguem" o Radiohead durante o show são uma forma deles de brincar com esta hipervisibilidade que um artista tem hoje. Apesar de tudo isso não conseguem desvendar o passe de mágica que o público descrente vê a banda realizar na nossa frente.

* * * * * *

Aproveitamos a ocasião para compartilhar a primeira parte do ESPECIAL RADIOHEAD - com um monte de raridades da banda - EPs, singles, álbuns ao vivo e coletas de lados-B. Devorem!



"DRILL" EP [1992 - 4 faixas]
http://www.mediafire.com/?tmidmmyg2zw


"ITCH" EP [1994 - 8 faixas]
http://www.mediafire.com/?eynznuo4mmm



"LOST TREASURES" [1993-1997, 2 CDs]
CD 01: http://www.mediafire.com/?zzczkwjxoqm
CD 02: http://www.mediafire.com/?zj5ux2j5imz


"AIRBAG / HOW AM I DRIVING" EP [1998 - 7 faixas]
http://www.mediafire.com/?2uznmvvumty



"I MIGHT BE WRONG" [2001 - AO VIVO oficial]
http://www.mediafire.com/?dy2t5zzyyii



"COM LAG" [2004 - 10 faixas]
http://www.mediafire.com/?nygzmxy2dfx



"THOM YORKE ACÚSTICO": aqui!

Um comentário:

Polly disse...

Radiohead, uma das melhores bandas, para mim. Radiohead no brasil é muita emoção, só sentimento. Eu seria uma das pessoas que pularia escutando "No Surprises" ^^