segunda-feira, 10 de agosto de 2009

:: Screaming Trees ::

Chorando o grunge derramado
- Bernardo Santana -

Quem liga se uma banda é considerada avó do grunge ou não? Quem liga se o vocalista tem uma voz que parece curtida em 50 anos de uísque e cigarro? Quem liga se eles compuseram um dos hinos injustiçados de uma década? O que importa mesmo é que os Screaming Trees são um dos maiores e mais sintomáticos exemplos da porrada de One Hit Wonders fodaços paridos nos anos 90. Mas, diferente dos Ugly Kid Joes, Candleboxes e Dee-Lites da vida (nada contra nenhum deles, tudo muito bom…) os caras têm pelo menos uns três discos crássicos no undeground-de-flanela que todos aprendemos a amar. É um deles é esse aqui.

Infelizmente para o mundo, o Screaming Trees só ficou conhecido mesmo por Nearly Lost You, que figurou na trilha sonora de Singles (aquele filme que usa a cena de Seattle como pano de fundo pra algum enredo que eu esqueci…) e, claro, nesse Sweet Oblivion, que tão diligentemente postamos agora.


Mas não só de quase-perdas são feitos os crássicos, meus amiguinhos! Sweet Oblivion, na verdade, tem pelo menos umas cinco músicas do mais puro suco do grunge/psicodélico que batem em Nearly fácil. Winter Song, Troubled Times, Shadow of the Season, The Secret Kind, Dollar Bill… Pode escolher qualquer uma pro test-drive: letras intrigantes, guitarra suja tipo não-estamos-nem-aí-mas-sabemos-o-que-fazemos, baixo criativo, bateria cavalar; tá tudo ali.

Ah, e tem o Mark Lanegan também. Talvez melhor que ficar caçando adjetivos pra falar do vocal extraordinário do cara seja lançar um vídeo com um dos pontos altos de Sweet, tocado aqui mesmo no Brasil há mais ou menos um mês: Dollar Bill.

video

Eu chorei. Ouve o resto aí.


DOWNLOAD: 86 Mb - 11 faixas

Um comentário:

Anônimo disse...

Hi friends,
good blog, thanks..
I want to share this interview/performance with the musician/psychologist/shamanic initiate(Bushmen of Kalahari) Bradford Keeney:

"When the shamanic tradition gone away, it was carried on by the
musicians who went wild..."
"When you are in high ecstatic states, sound-making is the only
possible language..."
http://www.futureprimitive.org/interviews/62

warm regards
Jose Luis