quinta-feira, 27 de novembro de 2008

:: Medeski Martin & Wood ::


A EVOLUÇÃO EM ESCALA CELULAR
– por Marco Souza –

Esse Medeski juntamente com Martin e o companheiro de aventuras sonoras Wood são os músicos mais desgraçadamente (no bom sentido) criativos e produtivos dessa geração. Devem ter quebrado algum recorde ao lançarem três álbuns de músicas inéditas em um ano, pelo menos entre os álbuns de jazz. Mas não são (não querem ser chamados de) uma banda de jazz. São baderneiros, barulhentos, eletrônicos, groovados, harmônicos, dissonantes, experimentais e absurdamente bons. Como uma criança cheia de imaginação com um brinquedo novo, eles fazem sua poesia sonora. E se divertem com isso. E nos divertimos também.

Pra começar a retrospectiva 2008 relembremos o divertido Let's Go Everywhere, já postado, repostado e apostado aqui. Depois os danados lançaram Zaebos - Book Of Angels Volume 11 que é uma piração com composições do camaradinha John Zorn, que iniciou essa série em 2005 com o primeiro Book Of Angels. A primeira música é tensão sonora total, a última fase que dá medo naquele jogo de 16 bit. Depois as coisas se acalmam. Jazz e experimentalismo sem groove, o que eu senti falta. Mas não vim aqui para falar dele. O destaque é para o lançamento do final de setembro, Radiolarians I, uma inovação no atual sistema de produção musical, mesmo que sutil.

O padrão é compor – gravar – tocar ao vivo, assim todos vão degustar de músicas que já conhecem, podendo cantar, dançar e rebolar de maneira bem ensaiada durante a performance ao vivo. Também é isso que move o mercado, vamos a um show para escutar nossas músicas favoritas. O trio deve ter pensado "Whattafuck!? Vamos mudar essa parada" "Como?" "Compondo e tocando direto para platéias" "Isso ai, e o que ficar bom gravamos depois". Dito e feito Radiolarians. O projeto consiste em três volumes em que cada um será uma compilação de músicas que se desenvolveram em shows da banda. Dizem que o show do dia 20 de setembro, no Sesc Vila Mariana em São Paulo, foi essencialmente Radiolarians II. Enfim, com essa proposta o show torna-se uma experiência mais interessante, pois não iremos ouvir apenas reproduções ao vivo de músicas que conhecemos, mas seremos capturados por uma musicalidade inédita. Renasce daí o conceito de música como arte e forma de expressão, perdendo um pouco seu caráter mercadológico (ainda comprarei os CDs da banda). E assim nasceu o primeiro Radiolarians, um dos trabalhos do trio que apresenta maior diversidade musical.


Tudo que MMW se mete a fazer é sensacional e temos aqui outro exemplo disso. O álbum começa com uma ambientação sonora mais do que necessária para a levada dos teclados de John Medeski, em seguida, com o baixo de Chris Wood, eles relembram uma sonoridade clássica da época de Shackman. Aqueles já familiarizados se sentirão em casa. A segunda faixa Cloud Wars, síntese de um punk-funk-jazz, é dominada pelo baixo agressivo e apimentada pelo groove dos teclados. Muchas Gracias me lembrou a diversão de escutar Let's Go Everywhere mas sem aquela característica infantil (em nota que não é um disco apenas para crianças, mas suas composições foram orientadas para elas). Professor Nohair dá uma aula de piano em um bar de New Orleans. Iniciada por Wood, a anarquia sonora toma conta de Reliquary, a faixa mais experimental do disco. Nela o baixo rasga tudo com um riff punk básico em conjunto com teclados sintetizados e a bateria estilhaçada de Billy Martin, que quebra tudo o que pode com suas baquetas para dominar essa música nervosa. Uma interrupção com um improvável piano clássico a deixa com um aspecto estranho e belo. Em contrapartida Free Go Lily já traz um MMW com suas influências funk bem a mostra, agradando a todos com sua melodia. A experiência continua na batida selvagem e no timbre assustador de Rolling Son, outra estranheza das boas. A sonoridade alegre característica reaparece em Sweet Pea Dreams, durante a curta faixa de três minutos, tempo suficiente pra nos deixar com um belo sorriso no rosto. God Fire traz a loucura de volta aos teclados com um clima sombrio e o espetáculo termina sutilmente com Hidden Moon.

Um dos lançamentos do ano: lindo, essencial, raivoso e revigorante. Creio que eles são uma das maiores figuras da música atual e ficarão para história como um dos grande ícones de nossa geração.

Medeski Martin & Wood - Radiolarians I
Download (10 músicas - 88 MB)

Medeski Martin & Wood – Zaebos - Book Of Angels Volume 11
Download (11 músicas - 96 MB)

3 comentários:

Christian Sonic disse...

Hi, I like your site, are you interested for a Link Exchange with my site http://christiansonic.blogspot.com ?

Christian Sonic,
Waiting for a Replay and thank You for your Time.

Anônimo disse...

Que coisa linda esse post!
Vcs estão de parabens!
Só tenho uma reclamação, as tags das músicas vieram muito bagunçadas... mas nada que atrapalhe a diversão. ^^
E já abusando um pouco da boa vontade de vcs... será que tem como disponibilizar todos os book of angels aqui?
De qualquer jeito, muito obrigado pelo blog maravilhoso!!

Marco Souza disse...

valeu pelos elogios!
quanto os "books of angels" tô a procura de todos ainda. não tá fácil encontrá-los. talvez role um post especial para a série. através dela conheci john zorn, ainda bem!
já a respeito do link tem q falar com o lux, the owner.