quinta-feira, 25 de março de 2010

Mateus na onda da mutilação

Deus protege os bêbados, as criancinhas e aqueles que ousam escrever sobre velharias e coisas ultrapassadas. A coisa, no caso, vem de 2006. Pode parecer muito 2006 mesmo, justo pelas condições em que são encontradas – na época, ninguém tuitou, poucos bloguearam. Mas a semelhança mesmo fica mais para o lado daquela banda, aquela do careca gordinho que grita até cuspir as cordas vocais na parede.

Na verdade, o processo é um pouco mais complicado. É Pixies, mas parece Bee Gees. Não é Pixies – é um cara chamado Matthew, que emulou vários artistas homenageando Pixies. Parece Bob Marley, Prince e Frank Sinatra, mas na verdade, é Pixies. Esse Matthew parece ter gastado uma boa resma de tempo fazendo tudo isso. O que acabou saindo dessa empreitada corroborada pelo ócio (julgo equivocado?) tem a ver com uma máxima que me disseram em alguma festa da faculdade: “Arte é forma, e não conteúdo”.

A forma, então, é o estilo que tal artista, ou tal banda, ou tal desocupado, impõe sobre um conteúdo pífio: aprecio os Pixies, mas nunca tive interesse em saber pra quem diabos grita-se “HEY!”. Prince também não, e no fim das contas, a música ficou parecendo ser dele. Os arranjos sintéticos são muito caricatos, e a escolha das músicas – bandas ficou impecável. Pra mim, óbvio que “Wave of Mutilation” é dos Bee Gees, assim como os Beach Boys consagraram-se com “Levitate Me”. Sugestões, caro Matthew? “Velouria” com Jota Quest. Tudo o que eu queria.

2 comentários:

Aaris disse...

trade links?

http://landanimal.blogspot.com/

Lusso disse...

Caraca, que doidera! Frank Black ficaria orgulhoso... =)

Só ocê mesmo pra descobrir essas pirações, Mininôncio!