terça-feira, 30 de junho de 2009

:: John Zorn toca Ornette Coleman ::


:: JOHN ZORN ::
Spy Vs. Spy - The Music Of Ornette Coleman (1989)


Mais uma desconstrução radical dos temas de Ornette Coleman que uma homenagem "tradicional", Spy Vs Spy estabeleceu John Zorn como um mestre inigualável da improvisação "incansavelmente violenta". Tal como acontecia como Ornette, para Zorn a improvisação coletiva sobrepõe-se à autônoma. E com essa missão, o saxofonista alto e o seu grupo de jovens colaboradores nova-iorquinos fizeram abalar as fundações cimentadas do jazz para criar a sua própria "shape of jazz to come".

O que é aqui demonstrado é jazz vulcânico em forma de jogo com saxofones que soam em diferentes canais de estéreo (Zorn, à direita, contra Tim Berne, à esquerda) sobre uma panóplia de baterias em duelo (Joey Baron contra Michael Vatcher) e dissonâncias de baixo (Mark Dresser). Uma peça preparada propositadamente para alienar os puristas sicofantas do jazz? Talvez, mas depois de fazer explodir a pirotecnia bebop num momento contronado por minimalismo trash-jazz em "Word For Bird", o grupo passa a misturar blues, swing, free-jazz e as infames teorias melódicas de Ornette para formar algo diferente. "Rejoicing" e "Peace Warriors" chocam e assombram os ouvintes ao introduzir referências tonais descodificadass, que até aí apenas se ouviam em temas speed metal ou nas composições caricaturais de Carl Stalling.

As caricaturas reaparecem na capa assinada por Mark Beyer, que encaixa na perfeição (e com humor) na declaração contra os cânones estabelecidos para o jazz. Bem-vindos ao jazz da geração pós-punk. Como diz Zorn no texto de apresentação: "FUCKING HARDCORE RULES". --- 1.001 DISCOS PARA OUVIR ANTES DE MORRER

2 comentários:

Pedro Tiago disse...

O link está dando erro!

Eduardo Carli de Moraes disse...

Cara, lamento informar que todos os álbuns do blog foram deletados pelo Mediafire devido ao "recrudescimento" da campanha anti-pirataria nos EUA. Nenhum deles está ativo, infelizmente, e não tenho condições nem tempo para re-uplodear os mais de 54 gigabytes de música que havia aqui, além do mais sabendo que corro o risco de trabalhar feito Sísifo de novo... Com a Internet como anda na atualidade, é triste dizer mas um blog de mp3 como este era... não é viável.